Jumes Verne e Mormonisme

Jules Verne e Mormonisme
 
Jules Verne é um dos mais grandes visionnaires os franceses, através das suas 80 novelas, cuja maior parte entrou ao património universal da humanidade. O alcance dos seus livros universal, e falando à cada um entre nós. Grande romancier foi igualmente excelente vulgarisateur com a sua Geografia ilustrada da França e as suas colónias (1868); a sua História das grandes viagens e os grandes viajantes (1878); onde a sua biografia de Christophe Colomb (1883).
Foi também autor de peças de teatro. Era um espírito universal, na linhagem Camille Flammarion são contemporâneos. Todos quando evoca-se Jules Verne às imagens somptueuses de 20.000 milhas sob os mares, o Capitão Nemo e o seu magnífico Nautilus. A exploração do centro da terra, onde a antecipação da viagem sobre a Lua com o Gun Clube que decide enviar uma cápsula sobre o astro das noites! Mas que menos sabe-se, é que Jules Verne no seu livro "a Volta do Mundo em 80 dias" consagra um toda uma capítulo à jovem religião Mormone, no XXVIIe capítulo intitulado no qual Passepartout segue, com uma velocidade de vinte milhas à hora um curso de história mormone.
A publicação de esta novela sobe à 1873, relata o desafio lançado gentleman britânico, douto e homem de cultura: Phileas Fogg, acompanhado do seu empregado Francês Passepartout, que consiste a fazer a volta do mundo menos de três meses. Esta novela é lido ao mundo dos?uvres de aventuras. Em 1873 aquilo faz já 29 anos que Joseph Smith tem súbito martyr (27 de Junho 1844) com o seu irmão Hyrum. E na França, aquilo faz 22 anos que o Livro Mormon foi traduzido em Francês (1851). Jules Vernes em 1851 tinha 23 anos, espírito curioso de todo, aberto sobre o mundo e nomeadamente sobre o Novo Mundo que fascine (Cf. a ilha flutuante que relata uma travessia em direcção do Novo Mundo à bordo do Great Eastern), é muito provável que teve entre as mãos uma da primeira tradução do Livro Mormon.
Ao contrário De Exmo. Senhor Arthur Conan Doyle que muito se deve-á com a jovem religião Mormone em um das suas novelas, Jules Vernes escova antes um retrato pitoresco do Oeste Americano em geral e o vale do Lago Salgado em especial. Jules Vernes não se mostra agressivo com Mormons, sente-se mesmo certa admiração para a lugar Salt Lake City mim cita-se: Mas durante esta conferência, o comboio tinha andado rapidamente e, para meio-dia e metade, tocava à sua ponta noroeste o grande lago Salgado. Lá, podia-se abraçar, sobre um vasto perímetro, o aspecto de este mar interno, que leva também o nome de mar Morto e no qual se lança um Jordão da América.
 Jules Verne faz dizer à Elder Hitch um pouco de história dos Santos, e faz surgir o carácter injusto da perseguição dos Santos dos Últimos Dias, cito: ...voilà porque a inveja do Congresso exerceu-se contra nós! porque os soldados da União pisaram o solo do Utah! porque o nosso chefe, o profeta Brigham Young, foi encarcerado ao despeito de qualquer justiça! Renderão à força? Nunca! Caçados do Vermont, caçados Illinois, caçados do Ohio, caçados Missouri, caçados do Utah, reencontraremos ainda algum território independente onde plantaremos a nossa tenda... Os termos Jules Verne contra Mormons são antes elogiosos, e elabora um verdadeiro elogio da Liberdade. Insiste no lado injusto da perseguição do qual são vítimas Mormons. Jules Vernes descreve igualmente as circunstâncias da descoberta do Livro Mormon, e a sua tradução inspirada a partir de carácteres egípcia, fala-nos de Joseph Smith e a sua vida... É muito surpreendente. Jules Verne conhecia muito efectivamente o Mormonisme, e garante que tem da lira o Livro Mormon e a acta de viajantes que provêm de Utah.
Pode ser encontrou mesmo um dos missionários da Igreja de Jésus Christ dos Santos dos Últimos Dias, com que, pôde aprender de pilhas coisas sobre a nova religião, que integrará na sua novela. Um termo trai o facto de Jules Verne conhecia o Livro Mormon ele diz "uma tradução deste precioso livro", ele emprego o termo de "preciosos". Certamente mais distante, é dito que os ouvintes da conferência de Elder Hitch deixaram a sala pouco interessados, mas lá, é um traço da época, estamos século X na Europa, cheio scientisme, e é verdadeiro que prédicateurs na França não tinham sempre sala cheia... Aquilo não alterou demasiado hoje em dia. O autor da Volta do Mundo em 80 dias manifesta um interesse evidente para o Mormonisme e parece intrigado pelo livro Mormon, "este precioso livro".
 Jules Verne pensava provavelmente que a América acabava de encontrar a "sua Bíblia", mas à época, podia-se ainda prever a imensa repercussão da "Bíblia de ouro" no mundo inteiro. E a história mostrará que o Utah tornar-se-á o estado que protegerá o Reino dos Santos dos Últimos Dias e assegurará a sua radiação mundial. Na época da publicação da Volta do Mundo em 80 dias, nada não é ainda certo, dado que é feito menção de uma possível partida de Utah para terras independentes! A história mostrará que por último Mormons terão encontrado as "suas terras" para viver em paz e na harmonia. Jules Verne e Mormonisme, uma pergunta muito mal conhecida na França, esperamos que este artigo permitirá ir mais adiante, e abrir novas vias de investigações.
 
 Adama.


29/01/2007
0 Poster un commentaire

A découvrir aussi


Inscrivez-vous au blog

Soyez prévenu par email des prochaines mises à jour

Rejoignez les 237 autres membres